30 maio, 2007

é difícil

não se engane, meu filho. a verdade está aí, só não vê quem não quer.

sua vida é um lixo, por culpa sua.

suas verdades estão todas vencidas, e suas palavras não valem de nada.

letras enfileiradas, soltas e entrevirgulas. nada que tu faça vai
mudar o que tu é.

e você, meu caro rapaz, é um ser humano qualquer. que erra ao pensar
que pensa mais que alguém.

tua maior burrice é achar que não é burro. seu mairo erro é afirmar,
uma dúvida que seja.

nada é certo, contemos com isso. falta agora acertar os ponteiros.

tudo começa do 12 e vai até o 11, pra começar outra vez. esse é o
dia-a-dia, que passa duas vezes pra completar um só dia.

fazer poesia, negar a poesia. vai saber o que é ser poeta primeiro.

chegou agora e já tá botando banca. se todos fossem como você...

se liga cara, volta pra barriga da sua mãe, seu medroso duma figa.

e vai apagar agora? vai negar o que é? cai na real, deus tá vendo rapá!

cada um com seus problemas, e foda-se quem ficar.

a esperança é a única que morre, fica no caminho, nos deixa sozinhos.

bobo é quem acredita que ainda pode fazer algo pra mudar tudo isso.

se liga, cara, veio pra se fuder... vai se fuder até o fim, se não
aguenta pula da ponte, e pára de encher meu saco.

onde desliga tudo isso? como se faz pra durmir pra sempre? pois é, fácil fácil.
não sei se vai te ajudar, mas vais ser um a menos pra me atrapalhar.

podes fugir sem sumir também... toma droga. enche a cara de maconha,
se afunda no pó.
bebida eu nem falo mais, coisa de criança. mas o resto, o resto é bom pra ver.

tá olhando o que? esperando quem? rindo de qual piada?

nossas escolhas nos definem, tava escrito na legenda.

nossos erros nos condenam... e só agora que me avisam.

seja superficial sempre. ou se aprofunde direito.

páre de dizer coisas no imperativo, e páre de me perguntar.

desliga essa merda. muda esse disco. pula de ponta na maionese.

está tudo aí, e não parar é a regra.

amor? eu daria uma volta ao mundo a pé, se alguém tirasse isso da minha vida.
me deixasse só com o ar, a água e os outros elementos todos.

seja bem arrogante, isso te garante pouco respeito e menos problemas.

vai viver aí arrependido pra sempre? se fudeu!

tá dando pra ver o tamanho do problema, né?

pois é, resolve-lo é problema seu, e de mais ninguém.

matar.

4 comentários:

felipefonseca disse...

"
“É ridículo levar-se a sério.
Não ter humor é não ter humildade, nem lucidez, nem ligeireza; é ser demasiado cheio de si, é estar iludido consigo mesmo, é ser demasiado severo ou agressivo e, por isso, carecer sempre de generosidade, doçura, misericórdia. Demasiada seriedade, mesmo na virtude, tem algo de suspeito e inquietante.”

(Comte-Sponville, Pequeno Tratado das Grandes Virtudes)"

felipefonseca disse...

http://pt.wikiquote.org/wiki/Nietzsche#Assim_falou_Zaratustra

felipefonseca disse...

http://edeuscriouamulher.blogspot.com/

Uira Porã disse...

agora que me liguei que o ff é fera em autoajuda...

se ele se juntar comigo, aposto que desbancamos o paulo coelho.